4/27/2010

Luis Fabiano: "Estudar é importante pra qualquer um"

27/04/2010 - Luis Fabiano Clemente não se encaixa muito no estereótipo do jogador de futebol. Dono de uma personalidade forte, não costuma reproduzir discursos prontos. Fala o que acha que deve falar. Não por menos, já se envolveu em muita polêmica. Em sua passagem pelo São Paulo, clube que defendeu de 2001 a 2004, ficou conhecido por ter atingido a melhor média de gols da história do clube - 118 gols em 160 jogos - mas também por alguns pontapés que distribuiu. Era um "goleador esquentado", como definiu certa vez um narrador esportivo.

O perfil artilheiro, que lhe rendeu os apelidos de Fabuloso e Fabigol, chamou a atenção de clubes europeus e do técnico da seleção brasileira, na época, Carlos Alberto Parreira. Em 2004, Luis Fabiano participou da conquista da Copa América com o Brasil e transferiu-se para o Porto, de Portugal. Mas, devido a alguns problemas extra-campo, não rendeu o esperado na equipe. Também não conseguia se firmar como titular da "amarelinha". Não foram poucos os críticos que apontaram o mau comportamento como a causa dessa instabilidade.

Contrariando as expectativas, o "bad boy" amadureceu. Em 2005, trocou o Porto pelo Sevilha, da Espanha, e casou-se com Juliana Paradela, com quem tinha uma filha de um ano, Giovanna. A mudança de ares e a vida em família fizeram bem ao atleta. Em sua segunda temporada espanhola, foi um dos principais jogadores na conquista do bicampeonato da copa da UEFA pelo Sevilha em 2006 e 2007. Nesse mesmo ano, saiu do banco de reservas para marcar os dois gols da vitória contra o Uruguai pelas eliminatórias da copa, conquistando a titularidade no ataque canarinho.

Acostumado a falar sobre sua carreira de "goleador esquentado", Luis Fabiano nos concedeu uma entrevista diferente. O pai de Giovanna e, depois, de Gabriela conversou com o repórter Lucas Bettine sobre valores, família e Educação e mostrou que não se preocupa apenas em fazer gols.

->Confira a Entrevista

Como foi sua vida escolar?

Luis Fabiano: Até o colegial foi uma vida normal, como a de qualquer criança. Eu sempre ia a escola, dificilmente faltava, apesar de gostar muito de jogar futebol e já pensar em seguir uma carreira. Quando cheguei à Ponte Preta ficou muito difícil conciliar os estudos com os treinos e compromissos do clube e acabei parando de estudar. Terminei o 1º colegial e parei.

Qual foi a reação dos seus pais quando você abandonou a escola?

Luis Fabiano: No primeiro momento minha família não gostou, queria que eu continuasse a estudar, pois seria importante para mim, mas depois eles perceberam que realmente era difícil.

Quando você decidiu que queria ser jogador profissional?

Luis Fabiano: Eu tinha esse sonho desde criança, mas só defini mesmo que seguiria essa carreira quando cheguei à Ponte Preta, com 16 ou 17 anos. Ali percebi que realmente eu tinha condições de me tornar um jogador profissional.

Estudar é importante até para um jogador de futebol?

Luis Fabiano: Sem dúvida. Estudar é importante para qualquer um.

Você pensa em cursar uma faculdade quando sua carreira chegar ao fim?

Luis Fabiano: Ainda não fiz muitos planos para o pós-carreira. Mas pode ser, terminar os estudos é uma possibilidade.

De que forma você participa da Educação das suas filhas?

Luis Fabiano: A minha rotina é complicada, eu viajo bastante, mas mesmo assim tento participar da melhor forma possível, dedico a maior parte do meu tempo livre a elas. Sempre que posso incentivo elas a lerem, jogo jogos educativos com elas etc. Também procuro acompanhar o que elas fazem na escolinha e já participei de atividades da minha filha mais velha, Giovanna, na escola dela.

Qual é a importância do pai estar sempre presente?

Luis Fabiano: É fundamental passar uma segurança para os filhos, mostrar-se interessado e ajudar a educar.

Você ajudou a escolher a escola das suas filhas?

Luis Fabiano: Ajudei sim. Aqui em Sevilha não há muitas opções de escolas, mas escolhemos um colégio internacional, no qual elas são educadas em espanhol e inglês.

Você estimula suas filhas a ler?

Luis Fabiano: Sim.

Qual é seu livro favorito?

Luis Fabiano: Gostei bastante do livro "Salomão, o homem mais rico que já existiu". É um livro muito motivador.

Em sua opinião de que forma a Educação pode mudar o Brasil?

Luis Fabiano: Acredito que a educação é a única forma de realmente termos um Brasil melhor. Primeiro é fundamental que todos tenham acesso a educação. Depois também é importante que os nossos políticos dêem bons exemplos e pensem mais nos menos favorecidos.

Saudações Fabianistas*

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Siga-Nos!

Insta-Me!