6/20/2010

Em dia de Rei e Deus, Luís Fabiano classifica o Brasil

20/06/2010 - Inspirado nos chapéus do ‘Rei’ Pelé e na ‘mão de Deus’ de Diego Maradona, o atacante Luís Fabiano desencantou neste domingo, marcou dois gols e garantiu a classificação antecipada do Brasil para as oitavas de final da Copa do Mundo. Na partida em que Kaká também se destacou, com duas assistências (mas acabou expulso), a seleção de Dunga teve uma atuação oposta à da estreia e venceu a Costa do Marfim por 3 a 1, no Soccer City.

Liderada justamente pelos dois atletas que mais preocupavam pela má fase, a equipe brasileira confirmou sua fama de crescer diante de adversários mais fortes e acabou com as esperanças da Costa do Marfim. Com o placar, o Brasil chegou aos seis pontos e já está matematicamente classificado. Em caso de empate entre Coreia do Norte e Portugal, na segunda-feira, os pentacampeões também terão o primeiro lugar garantido.

O jogo ainda terminou em clima quente e muita discussão entre os atletas, resultando na expulsão do meia Kaká. Antes, o Brasil abriu o placar ainda no primeiro tempo, quando Luís Fabiano recebeu de Kaká e mandou para as redes, acabando com um jejum de seis jogos pela seleção. Na etapa complementar, o camisa 9 marcou um golaço com um pouco de malandragem, pois deu dois chapéus seguidos na área e dominou com o braço para emendar para o gol.

Elano ainda marcou o terceiro tento e saiu machucado. Mas, no desconto da Costa do Marfim, Didier Drogba aproveitou vacilo da defesa brasileira e cabeceou sozinho para as redes.

Desta vez, a seleção de Dunga não sofreu tanto com o frio, e apenas três jogadores iniciaram a partida com camisas de mangas longas (Juan, Kaká e Luís Fabiano), além do goleiro Júlio César.

O jogo: Disposto a apagar a má impressão deixada na partida de estreia, o Brasil tentou impor seu ritmo ao jogo. Logo no primeiro lance, Kaká ganhou a bola e deixou com Robinho, que carregou e arriscou a batida de longe, por cima do gol, ignorando os pedidos de passe do camisa 10 pelo meio e de Luís Fabiano na esquerda.

De acordo com as expectativas dos brasileiros, a Costa do Marfim realmente saiu mais para a partida em comparação à Coreia do Norte, mas isso não ajudou a equipe de Dunga, que seguiu com dificuldades para criar jogadas, principalmente pelo número excessivo de passes errados.

Os marfinenses, inclusive, também criaram oportunidades na frente, até pela quantidade de faltas que sofreram na intermediária ofensiva. Na primeira delas, Tiené tentou alçar na área, mas ninguém alcançou. Pouco depois, Didier Drogba arriscou a batida, que passou longe da meta de Júlio César.

Porém, em uma jogada desenvolvida pelos dois jogadores mais criticados da estreia, a seleção pentacampeã abriu o placar. Aos 24, Luís Fabiano passou para Kaká, que ganhou da defesa e devolveu na área para o camisa 9 soltar um foguete, sem dar chances de defesa ao goleiro Barry. Na comemoração, o atacante fez o número seis com as mãos, em referência ao número de jogos seguidos que estava sem balançar as redes com a amarelinha.

O grande número de torcedores marfinenses nas arquibancadas não permitiu o domínio dos cantos brasileiros, e o time pentacampeão também não criou chances suficientes para ampliar no primeiro tempo. Pelo contrário. A seleção de Sven Goran Eriksson chegou a se aventurar em batidas de longe, como a de Dindane, que viu Júlio César segurar.

As duas equipes voltaram para o segundo tempo sem alterações, mas a inspiração de Luís Fabiano deu mais alegria e malandragem à partida. Aos 5, o atacante recebeu na entrada da área, deu um chapéu em Zokora e, na sequência, também tocou por cima de Kolo Touré. Luís Fabiano, então, dominou com o braço e finalizou para marcar um golaço.

Depois do gol, uma cena curiosa. O árbitro francês Stephane Lannoy riu e bateu no braço, em conversa com Luís Fabiano, mas o atacante negou irregularidade, apontando para o peito. Gol para o Brasil. Sem alternativa, a Costa do Marfim se lançou ao ataque e arriscou em cabeçada perigosa de Drogba, que passou perto da meta.

Mas a vantagem deu tranquilidade para a seleção pentacampeã chegar à frente. Kaká recebeu na área e chutou forte, nas mãos do goleiro. Mas, na jogada seguinte, aos 16, o camisa 10 mostrou que tem condições de também brilhar na Copa do Mundo, pois fez jogada pela esquerda e deu a assistência na área para Elano mandar para as redes.

Na comemoração do gol, Elano tirou a caneleira e mostrou os nomes de suas filhas grafados. Mas, pouco depois, a má notícia foi justamente a contusão do meio-campista, que levou uma solada na canela direita e precisou deixar o gramado carregado (Daniel Alves entrou em seu lugar). Aliás, a equipe marfinense passou a abusar das faltas mais duras.

Mesmo assim, conseguiu aproveitar uma linha de impedimento mal feita pelo Brasil, que deixou Didier Drogba livre para cabecear e marcar. Nos minutos finais, os marfinenses passaram a provocar, e Kaká se desentendeu com os adversários, sendo expulso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Siga-Nos!

Insta-Me!