12/22/2009

Seleção Brasileira e Luis Fabiano, ambos deram show em '2009'

22/12/2009 - O Brasil reconquistou a confiança do torcedor e o favoritismo no Mundial de 2010 em um ano quase perfeito, com direito ao título da Copa das Confederações, a liderança das Eliminatórias e vitórias sobre Inglaterra e Itália. Em 16 jogos na temporada, o técnico Dunga venceu 13, empatou dois e perdeu apenas para a Bolívia, na altitude de La Paz, com uma equipe mista e já classificado ao Mundial.

O compromisso inicial da seleção brasileira foi em 10 de fevereiro, diante de um adversário de respeito: a Itália, campeã da Copa de 2006, em amistoso no Emirates Stadium, em Londres.

No primeiro duelo desde 1997 entre as duas seleções, que acumulam nove títulos mundiais, a equipe teve grande atuação e venceu por 2 a 0, com Elano e Robinho marcando. De quebra, o treinador descobriu um novo titular: o volante Felipe Melo.

De volta às Eliminatórias, no fim de março, o Brasil teve atuação pouco inspirada e ficou apenas no 1 a 1 com o Equador, na cidade de Quito. Apesar de jogar mal, a seleção treinada por Dunga saiu na frente no placar com Julio Baptista. No entanto, cedeu o empate nos minutos finais e ficou em terceiro.

O Brasil fez as pazes com o torcedor ao vencer o Peru por 3 a 0, em Porto Alegre, quebrando uma série de três empates sem gols no país e ainda subindo à vice-liderança. Luís Fabiano foi o destaque, com dois gols, e Felipe Melo completou.

Kaká, que estava machucado, entrou no lugar de Ronaldinho Gaúcho, que estava longe de sua melhor forma e começava a fechar de vez as portas da seleção.

Em junho, o técnico Dunga obteve outra grande vitória: goleou o Uruguai por 4 a 0, em pleno Estádio Centenário de Montevidéu, e quebrou um tabu de 33 anos sem vencer o adversário naquele país.

Com gols de Daniel Alves, Juan, Luís Fabiano e Kaká, a seleção brasileira chegou à liderança das Eliminatórias.

Na partida seguinte, diante do Paraguai, a equipe saiu atrás no marcador, mas conseguiu vencer por 2 a 1 no estádio do Arruda, em Recife. Com o resultado, foi a 27 pontos, assumindo a liderança isolada da competição e abrindo três em relação ao rival.

A seleção de Dunga teve dificuldade e saiu atrás no placar com Cabañas. No entanto, os donos da casa se recuperaram graças aos gols de Robinho e Nilmar.

O primeiro lugar nas Eliminatórias parecia dar a tranquilidade necessária ao treinador para a tentativa do bicampeonato da Copa das Confederações, evento teste para o Mundial da África do Sul. Ainda assim ele se irritou com as críticas da imprensa de que a seleção brasileira nunca joga bem:.

"Muitos disseram que cheguei à seleção para dois meses e já estou há três anos. Estou preocupado com o meu trabalho e não em agradar as pessoas. Às vezes digo coisas que alguns não querem ouvir, mas estou aqui para trabalhar, não para ser simpático", comentou.

Porém, o Brasil teve trabalho para vencer o Egito por 4 a 3, no estádio Free State de Bloemfontein, pela primeira rodada do grupo B da Copa das Confederações.

O gol da vitória só saiu nos acréscimos do segundo tempo, com um pênalti convertido pelo meia Kaká. O novo jogador do Real Madrid acabou sendo o destaque do duelo, balançando a rede duas vezes.

Na partida seguinte, a equipe não teve problemas para vencer os Estados Unidos por 3 a 0, em Pretória. Felipe Melo, Robinho e Maicon balançaram as redes e trouxeram confiança para o segundo duelo com os italianos em 2009.

E a seleção voltou a dar show contra os atuais campeões do mundo, vencendo por 3 a 0. Luís Fabiano, duas vezes, e Dossena, contra garantiram os 100% de aproveitamento do Brasil e a eliminação dos italianos, prejudicados por um empate triplo - os americanos ficaram com a vaga pelo saldo de gols.

A semifinal foi uma prévia do que a seleção terá de dificuldade ano que vem. Diante dos anfitriões, comandados pelo técnico Joel Santana, apertada vitória de 1 a 0, com um gol de Daniel Alves em cobrança de falta aos 42 minutos do segundo tempo.

Em 28 de junho, a seleção obteve o único título do ano ao bater os Estados Unidos com uma virada emocionante por 3 a 2 no estádio Ellis Park de Johanesburgo.

Após terminar o primeiro tempo perdendo por 2 a 0, gols de Dempsey e Donovan, os brasileiros reagiram na etapa final. Luís Fabiano, duas vezes, alcançou o empate, e a virada saiu a seis minutos do fim, com o capitão Lúcio acertando cabeçada.

Com o triunfo, o Brasil chegou à sua terceira conquista no torneio e se tornou o maior vencedor da história da Copa das Confederações, superando a França. A seleção já havia levado as edições de 1997 e 2005.

Antes de retomar as Eliminatórias, a equipe foi a Tallinn no início de agosto e ganhou da Estônia por 1 a 0. Luís Fabiano fez o único gol de uma partida violenta, marcada pelas muitas faltas duras das duas equipes.

E a vaga na Copa veio em 5 de setembro, diante do maior rival: a seleção bateu a Argentina fora de casa, na cidade de Rosário, por 3 a 1. A equipe ainda foi beneficiada pelas vitórias de Colômbia e Peru sobre Equador e Uruguai.

Luisão e Luís Fabiano, duas vezes, balançaram as redes para o Brasil, enquanto a Argentina descontou com um chute de longa distância de Dátolo.

Já classificada e com vários desfalques, a seleção derrotou o Chile por 4 a 2 no estádio de Pituaçu, e mostrou que tem um bom grupo para a Copa do Mundo de 2010.

O grande destaque da vitória foi o atacante Nilmar, autor de três gols. Além dele, Júlio Baptista, marcou para o Brasil. Com o resultado, a equipe de Dunga fechou a 16ª rodada das Eliminatórias em primeiro, com 33 pontos.

Cumprindo tabela, os brasileiros voltaram a campo em 10 de outubro, encarando a Bolívia na altitude de La Paz. Com uma formação mista, a equipe perdeu de 2 a 1 e acabou com uma série invicta de 19 partidas. Nilmar fez o gol da seleção na única derrota do ano.

Na última rodada, o Brasil frustrou a torcida ao empatar sem gols com a Venezuela em Campo Grande, mas acabou beneficiada pela derrota do Paraguai diante da Colômbia, em casa, para terminar em primeiro, com 34 pontos.

Com a vaga definida, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou que a seleção começará a preparação para o Mundial de 2010 em Curitiba, no centro de treinamento do Atlético-PR, entre cinco dias e uma semana no final de maio.

Dunga explicou que influenciaram na escolha a infraestrutura oferecida e o clima da cidade, cujas baixas temperaturas se assemelham às do inverno sul-africano. A segunda fase será já no país-sede, em local a ser definido.

Antes de fechar o ano, o Brasil derrotou outra equipe de tradição: a Inglaterra, pelo placar de 2 a 0, em Doha, no Catar. Nilmar voltou a deixar o seu, de cabeça, e praticamente garantiu sua vaga na Copa.

O último jogo do país no ano foi um triunfo de 2 a 0 sobre uma inexpressiva seleção de Omã, em Mascate. Nilmar e Al-Ghailani, contra, marcaram.

Em dezembro, o Brasil conheceu seus adversários no grupo G da Copa de 2010: Coreia do Norte, Costa do Marfim e Portugal. Apesar de a imprensa apontar esta como a chave mais perigosa, Dunga gostou porque exigirá o máximo dos jogadores desde o início.

"É bom ter ficado em um grupo tão difícil porque isso nos obrigará a estar muito atentos desde o início e reduzirá a pressão no Brasil, que sempre tem de ganhar tudo", afirmou.

A estreia dos brasileiros será dia 15 de junho diante dos norte-coreanos, considerados os mais fracos da chave, no Ellis Park de Johanesburgo.

O Brasil pega a Costa do Marfim dia 20 também em Johanesburgo, mas no estádio Soccer City. Com jogadores experientes como o atacante Didier Drogba, do Chelsea, esta é considerada a melhor seleção do continente africano.

Os comandados do técnico Dunga fecham a primeira fase diante de Portugal, no estádio Moses Mabhida de Durban, em 25 de junho. Goleados por 6 a 2 em amistoso no mês de novembro de 2008, a equipe está renovada e conta com ninguém menos que Cristiano Ronaldo, eleito melhor do mundo pela Fifa em 2008.

A seleção está com quase todo o grupo definido, e Dunga deverá decidir algumas vagas restantes no amistoso de 3 de março - que pode ser com a Irlanda, na casa do rival.

A Copa começa em 11 de junho de 2010. Se repetir o que fez na temporada atual, é quase certo que o Brasil será um dos países em campo no Soccer City para a decisão, um mês depois. E Dunga pode consagrar-se de vez como técnico da seleção.

© EFE 2009.

Saudações Fabianistas*

Um comentário:

  1. Olá

    É realmente 2009 foi um ano mto bom tanto para seleção brasileira, qto p/ Luis Fabiano que firmou de vez no ataque.

    Faça nos uma visita tb.

    Grande Abraço

    http://gloriososantosfc.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Siga-Nos!

Insta-Me!