12/31/2009

2009; O ano de Luis Fabiano que vence o prêmio Samba de Ouro 2009

31/12/2009 - Se ele ainda não é uma estrela fora do Sevilha, Luis Fabiano está construindo uma reputação formidável. Este jogador de 29 anos teve uma evolução lenta, cheia de obstáculos, mas conseguiu finalmente se firmar como o melhor atacante da Seleção Brasileira e melhor artilheiro da temporada 2009. É o nosso Samba de Ouro de 2009, o que é um grande orgulho para nós, pois ele realmente merece esse prêmio. Depois dele vem Julio Cesar e Kaká, que foi o campeão de 2008.

Luis Fabiano é a cara do futebol brasileiro, com seus defeitos e fraquezas, mas também com seu lado simpático e seu talento inato. Sua história poderia ter dado errado, tinha tudo para desaparecer do futebol professional. Os gênios das calças curtas não falham deste lado do globo, onde os vemos florescer em cada época, em quase todos os clubes. Poucos ficam felizes e orgulhosos de contornar os obstáculos à sua frente, poucos estão suficientemente equipados para lutar com a cabeça erguida. Luis Fabiano conseguiu, mesmo com os altos e baixos de sua carreira. Nos últimos meses, ele ainda acelerou e o menino de Campinas tornou-se uma verdadeira estrela do futebol mundial.

Christian Gourcuff: "Parece que ele estava com preguiça"

Neste ano de 2009, ele mostrou ao mundo todo sua evolução. O jogador, chamado de “El Fabuloso” na Espanha, mereceu totalmente este troféu. O jogador sempre teve qualidades para brilhar. Quando ele chegou na Europa, aos dezenove anos, ele escolheu Rennes, clube do Noroeste da França. Esta transferência se concretizou um pouco por coincidência quando o clube francês foi observar jogadores da Ponte Preta em Campinas. Na época, ele não era o principal alvo dos dirigentes franceses. Eles se interessam mais pelo meia Vander. Mas o Rennes decidiu, finalmente, trazer os dois jogadores.
Esta nova experiência poderia ter sido o começo de uma carreira, mas o jogador fracassou completamente em sua primeira aventura fora de seu país.
O menino estava com saudade de casa, porém ele sempre teve um caráter forte. Naquela época, ele ainda não estava maduro o suficiente para atuar como um verdadeiro profissional: arrastava os pés nos treinos, foi uma sombra na maioria dos jogos que disputou, recusou-se a adotar o rigor necessário e a respeitar as exigências da casa. Claramente, estava incontrolável. "Parece que ele estava com preguiça", lembra seu treinador Christian Gourcuff. "Era muito difícil, temperamental. Até para fazê-lo correr era complicado. Ele não falava a língua e deixou o clube rapidamente. Eu me pergunto ainda hoje se ele não fez isso deliberadamente.

Bernard Lama: "Um jovem imaturo, um jogador perdido"

Esse comportamento é comum entre os brasileiros que vêm na Europa ainda muito jovens, sem preparação suficiente. Visto do Brasil, a Europa parece um paraíso aos olhos de muitos. Muitos acreditam que vão conseguir vencer somente com uma pirueta e um malabarismo, ou com a bola no nariz, sem a necessidade de disciplina. Eles se acham mais fortes do que os europeus, mas descobrem rapidamente que a realidade é bem diferente. A mudança de estilo é complicada. Luís Fabiano perdeu o equilíbrio, especialmente quando começou a acumular problemas em casa, o que acabou piorando sua situação.
De origem modesta, ele foi criado por seu avô após o divórcio de seus pais. O futebol representa para ele a única forma de vencer na vida. Desde sua juventude ele começou a mostrar sua capacidade de atacante, com um grande potencial na grande área, atuando com muita segurança. "Ele ainda era um garoto imaturo, um jogador perdido", lembra Bernard Lama, ex-goleiro da Seleção francesa que esteve em Rennes. "Era muito jovem, e essa transferência aconteceu muito cedo para ele.»
O campeonato francês não é, provavelmente, o melhor para alguém que quer começar vitorioso. Raí, no seu tempo, teve que se esforçar muito para se firmar.

A França, mundo cruel para os brasileiros

Ronaldinho também foi uma sombra quando começou a jogar no Paris SG. A França sempre foi difícil para os jogadores brasileiros, eles sempre tiveram dificuldade para mostrar seus talentos. Severino Lucas e Luis Fabiano também perderam tempo na França. O segundo fez duas viagens: seis meses de agosto de 2000 a janeiro de 2001, e outros seis meses de janeiro a junho de 2002. "Ele era um pouco desajeitado, tinha dificuldade para se movimentar, mas era atirado pelo gol", diz Bernard Lama.
Depois de uma primeira passagem na Bretanha, o brasileiro voltou para o Brasil para jogar no São Paulo FC (de janeiro de 2001 a janeiro de 2002). Em seguida, ele voltou para a França com o objetivo de alavancar novas oportunidades. Esta tentativa foi novamente um fracasso, especialmente quando chegou o inverno. Sua mente estava em outro lugar: seu avô, Benedito, que o criou, faleceu. Este desaparecimento precipitou seu retorno a São Paulo. Sua permanência no futebol francês o propiciou coisas positivas e ele se tornou um verdadeiro jogador de futebol. Ele voltou para o Brasil marcando muitos gols. Em três anos, marcou 62 gols. Em 2003, Luís Fabiano Clemente é convocado para jogar com a Seleção contra o Nigéria. Um ano depois ele vence a Copa América.

Os dramas têm acompanhado sua estréia na Europa

Com o São Paulo, ele também ganhou a Copa Intercontinental dos Clubes. "Para jogar no exterior, a gente deve estar preparado, e eu não estava pronto." Reconhece hoje o jogador. "Eu cometi um erro enorme por sair muito cedo ». Ele reencontrou o sabor de marcar gols no Brasileirão de 2001, onde marcou nove gols em vinte e dois jogos. Ele foi o melhor artilheiro do campeonato nacional em 2002, artilheiro do campeonato paulista em 2003, o melhor goleador da Copa Libertadores de 2004. Ele aproveitou a oportunidade de ir novamente para a Europa tentar uma nova aventura do lado direito do Atlântico, berço do sucesso internacional.
Ele escolheu o Portugal, onde o futebol serve como uma transição para os brasileiros distantes de seu país. Mas acabou sendo de novo um fracasso, com apenas 3 gols em 22 jogos. Desta vez, estamos em 2005 e o homem conhece um novo drama pessoal. Sua mãe foi seqüestrada em março. Ela foi encontrada pela polícia dois meses depois em uma fazenda. Mais uma vez, sua carreira no exterior poderia dar errado, se transformando em um fiasco. Mas o Sevilha o salvou, oferecendo-o a possibilidade de provar sua grandeza como jogador.

Ele se tornou um verdadeiro jogador europeu com o Dunga

A Andaluzia foi uma revelação para o jogador nascido em Campinas. Com o FC Sevilha, ele ganha duas Copas UEFA em 2006 e 2007 e se transforma em um jogador indispensável. Ele não é mais o mesmo que chegou na França há alguns anos. "Eu certamente não imaginava que ele se tornaria o atacante que é hoje, diz Christian Gourcuff. Ele não é o mesmo, parece mais disponível fisicamente, e no campo também."
Com o Dunga, Luis Fabiano tornou-se um jogador de futebol que atende às diretrizes, sendo útil dentro do campo mesmo sem a bola, ajudando até na marcação. Chegou a ser fantástico. Tal como aconteceu com o Robinho, o treinador gaúcho transformou o Luis Fabiano na Seleção, com tarefas e obediência. Ele tornou-se disciplinado!

Aos 29 nos, ele tem tudo do atacante moderno

Ainda melhor do que no FC Sevilha, ele chegou a ser o arquétipo do perfeito jogador europeu com o Dunga. Não é o mais alto nem o mais resistente com seus 1,83m e 81kg, mas pode fazer gols maravilhosos, de todas as posições, de perto e de longe. O jovem, agora com 29 anos, é um atacante completo, um atacante moderno que sabe fazer tudo, que é feroz na batalha, que é firme em sua técnica, esperto e inteligente em sua abordagem tática.
Com Kaká e Robinho, ele encontrou suas marcas. Neste último verão, na Copa das Confederações, ele foi o artilheiro (5 gols) com dois gols marcados contra a Itália em oito minutos, e outros dois na final contra os Estados Unidos (3-2). Contra a Argentina, em Rosário, jogo importantíssimo para a qualificação para a Copa do Mundo de 2010, ele marca novamente dois gols decisivos para a vitória (3-1). Com 25 gols em 33 jogos, ele é atualmente o jogador mais eficaz. Auriverde, capaz de marcar a qualquer momento, com ou sem marcação, capaz de converter a primeira oportunidade em um grande sucesso.

Luís Fabiano merece o Samba de Ouro

O jogador amadureceu lentamente durante sua carreira mas chegou em 2009 com plena posse de suas formas, mais forte do que nunca. Os grandes eleitores do Samba de Ouro preferiram votar para “El Fabuloso” deixando Julio César atrás dele. Este Colégio Eleitoral, composto este ano por onze campeões do mundo, de Zito a Cafu, passando por Jairzinho e Carlos Alberto, ficou, provavelmente, surpreendido neste ano de 2009 pelo total controle e eficiência do jogador. Os membros da associação e os internautas do site Sambafoot.com fizeram a diferença para colocar o Luis Fabiano na liderança.
Se um time tivesse que ser composto com base nos votos do Samba de Ouro de 2009, ele viria acompanhado por muitas promessas ofensivas: Julio Cesar, Daniel Alves, Naldo, Lúcio, André Santos, Maicon, Alex, Kaká, Pato, Grafite, Luis Fabiano.

[x] Clique aqui e veja a classificação final do Samba de Ouro 2009

Saudações Fabianistas*

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Siga-Nos!

Insta-Me!