12/12/2004

Com Fabuloso em campo Porto FC é Campeão Mundial

Após o empate por 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação, o Porto venceu nos pênaltis o Once Caldas por 8 a 7, neste domingo, em Yokohama (Japão), e ficou com o título do Mundial Interclubes.
Enquanto o time colombiano, campeão da Copa Libertadores da América, disputou o título pela primeira vez, os portugueses, atuais vencedores da Copa dos Campeões da Europa, conquistaram a taça em 1987, quando superaram o Peñarol, do Uruguai.

Quatro brasileiros estiveram em campo na decisão, todos pela equipe européia. Dois deles, Diego e Luís Fabiano, se vingaram de derrotas para o Once Caldas por seus ex-clubes. O ex-santistas foi o melhor de todos, armando boas jogadas. O ex-são-paulino também foi muito perigoso enquanto teve fôlego.

Já Derlei, que saiu desconhecido do futebol nacional e conquistou respeito em Portugal, teve atuação muito apagada e foi substituído por Carlos Alberto. Ex-Fluminense, o meia teve uma atuação razoável.

Nos pênaltis, Diego, após converter a primeira cobrança do Porto, xingou o goleiro Henao e foi expulso de campo. Carlos Alberto também colocou a bola na rede na sua vez.

O Once Caldas esteve bem perto de levar o título quando o português Maniche desperdiçou a quarta cobrança do Porto, mas, em seguida, Fabbro também perdeu. García errou a oitava tentativa colombiana e deu o título aos europeus.
O jogo

A estratégia do Once Caldas foi a mesma utilizada na surpreendente campanha que levou ao título da Libertadores: retranca, marcação forte e contra-ataques. Assim, a equipe portuguesa apoveitou pra pressionar durante a maior parte do jogo.

O primeiro bom momento do Porto aconteceu aos 17 minutos do primeiro tempo, quando Luís Fabiano recebeu na área, girou rápido e mandou a bola no travessão do goleiro Henao.

A trave salvou mais uma vez o time colombiano aos 38. Diego cruzou, a zaga colombiana desviou errado e a bola pegou no poste esquerdo de Henao. No rebote, Derlei desviou e a bola acertou no travessão. A bola sobrou ainda limpa para McCarthy, que perdeu gol feito e mandou por cima.

No segundo tempo, o massacre do Porto continuou. Aos 17 minutos, Diego chutou, McCarthy pegou o rebote e mandou para a rede. No entanto, o árbitro anulou o gol alegando impedimento, que não existiu.

Cinco minutos mais tarde, mais uma vez a sorte foi salvadora para o Once Caldas. McCarthy arriscou de fora da área e a bola explodiu no travessão de Henao.

Aos 25, o Carlos Alberto entrou no lugar de Derlei. Já aos 35, Luís Fabiano, visivelmente cansado, já que ainda recupera a forma depois de uma contusão, deu lugar a Quaresma. Mas nenhum dos dois conseguiu evitar que a decisão fosse para a prorrogação.

O jogo ficou truncado no tempo extra, que ficou marcado por um susto aos 10 minutos do primeiro tempo. O goleiro Vítor Baia, do Porto, passou mal e interrompeu a partida por cerca de quatro minutos. Ele precisou ser substituído por Nuno.

FICHA DO JOGO Porto (8) 0x0 (7) Once Caldas

Estádio Internacional de Yokohama (Japão)
Árbitro: Jorge Larrionda (Uruguai)
Assistentes: Amelio Andino e Winston Reategui
4º árbitro: Toshimitsu Yoshida

F.C. PORTO: Vítor Baía; Seitaridis, Jorge Costa «cap.», Pedro Emanuel e Ricardo Costa; Costinha, Maniche, Diego e Derlei; Luís Fabiano e McCarthy
Substituições: Derlei por Carlos Alberto (69m), Luís Fabiano por Quaresma (79m) e Vítor Baía por Nuno (104m)
Não utilizados: Pepe, César Peixoto, Bosingwa e Hélder Postiga
Treinador: Victor Fernandez

ONCE CALDAS: Henao; Rojas, Vanegas «cap.», Cambindo e Garcia; Velásquez e Arango; Viafara, Fabbro e Soto; De Nigris
Substituições: Cambindo por Cataño (46m), Arango por Diaz (61m) e Soto por Alcazar (97m)
Não utilizados: Gonzalez, Jimenez, Moreno e Aranjo
Treinador: Luís Fernando Montoya


Te Amo Fabuloso e sempre estarei contigo!
♥________________________________________♥

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Siga-Nos!

Insta-Me!