6/20/2010

Cabisbaixo, Luís Fabiano sente pressão por gols

20/06/2010 - Na seleção brasileira, Luís Fabiano sempre foi extrovertido. Isso ficou ainda mais evidente nos últimos anos, quando passou a ser convocado pelo técnico Dunga com frequência. Assumiu a camisa 9 do time para substituir Ronaldo e já declarou que não vai retirar sua candidatura a artilheiro da Copa do Mundo, mesmo sem ter deixado sua marca na estreia, contra a Coreia do Norte. Confiança de um lado e má fase técnica de outro podem não ser compatíveis para quem disputa um Mundial.


Nos últimos dias, o atacante do Sevilla acusou o golpe do jejum de gols pela seleção. Luís Fabiano não marca pelo Brasil há mais de nove meses e não esconde sua frustração. A última vez em que balançou as redes foi no dia 5 de setembro do ano passado, quando fez dois gols na vitória por 3 a 1 sobre a Argentina, em Rosário, pelas Eliminatórias. O artilheiro passou em branco até contra dois times totalmente inexpressivos, como Zimbábue e Tanzânia, com os quais a seleção dirigida por Dunga fez amistosos no início do mês. No confronto com a Coreia do Norte, outra equipe sem tradição, o artilheiro atuou muito mal, sem conseguir se livrar da marcação adversária.

Estaca zero. Os erros de finalização, alguns deles por afobação, são repetidos nos treinos. Em pelo menos quatro coletivos em Johannesburgo, Luís Fabiano continuou na estaca zero. Como Dunga já promoveu vários treinos secretos e, em alguns deles, sem nenhuma informação sobre ao menos qual a atividade realizada, não se pode precisar se Luís Fabiano reavivou a memória de artilheiro. Na sexta-feira, no entanto, em novo trabalho secreto de Dunga, o atacante apenas viu o lateral Maicon fazer o único gol do treino.

Se hoje o atacante começar a dar a volta por cima, vai receber o abraço de todos os jogadores. Pelas respostas de alguns atletas nas últimas entrevistas coletivas concedidas em Johannesburgo, parece haver no grupo mais do que uma torcida particular para que Luís Fabiano retome a condição de artilheiro. "Logo vai sair o gol dele", previu e apoiou Robinho. "Tem que ter paciência", disse Kaká.

Incomodado com o momento de instabilidade e a pressão pela falta de gols, Luís Fabiano está mais calado na passagem pela África do Sul, até mesmo nas rodinhas, conhecidas como bobinho, que os jogadores fazem antes dos treinos. De uma das poucas promessas do time logo que saiu a lista de 23 convocados, passou a ser um problema. Assim como Kaká, Luís Fabiano se recuperou de lesão muscular há poucas semanas. Sua forma física é outra interrogação dentro da equipe. "É claro que essa situação incomoda, ainda mais um atacante, que vive dos gols", lamentou o camisa 9. "Mas todo artilheiro passa por isso e a gente sabe que da mesma forma que a fase negativa começa, ela termina."

Sombra. Enquanto o titular vai mal, Nilmar se destaca nos treinos e pode ser aproveitado com mais assiduidade por Dunga. Na vitória contra os norte-coreanos, o atacante do Villarreal entrou no final da partida e ainda deu dois chutes perigosos a gol. Para Dunga, é cedo ainda para fazer uma alteração no ataque da equipe desde o início da partida. Mas, se a inércia de Luís Fabiano continuar, o técnico pode reavaliar a situação já contra Portugal, última partida da primeira fase.

Ontem, no entanto, Dunga preferiu incentivar o titular. "O Luís vem de uma lesão e está trabalhando forte", disse. "Artilheiro é assim. No momento certo, vai fazer o gol", prosseguiu, em entrevista no Soccer City.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Siga-Nos!

Insta-Me!