6/21/2010

Ceni sonha com volta de L. Fabiano, defende Kaká e vê Brasil na final

21/06/2010 - Campeão Mundial em 2002 e presente em 2006, Rogério Ceni acompanhou o jogo entre Brasil e Costa do Marfim entre torcedores do São Paulo neste domingo. Contratado para promover o almoço em um restaurante no Estádio do Morumbi, ele aventou a volta de Luís Fabiano, defendeu Kaká e previu a chegada do Brasil à decisão do Mundial da África do Sul.

Como passou o segundo tempo atendendo aos torcedores, ele acompanhou apenas os replays dos gols do Brasil. "Praticamente não vi o jogo, mas vi os gols, dois de um são-paulino, que é o Luis Fabiano, o que é o mais importante. Quem sabe ele não volte para jogar com a gente aqui um dia?", perguntou.

Pelo São Paulo, o atacante conquistou o Rio-São Paulo de 2001, além das artilharias do Campeonato Brasileiro-2002, do Campeonato Paulista-2003 e da Copa Libertadores-2004. Com 118 gols em 160 jogos, é o 11 maior artilheiro do clube - Serginho Chulapa lidera a lista com 242 tentos.

Ceni ainda defendeu o meia Kaká, mais um ex-companheiro de clube. O jogador do Real Madrid foi expulso de maneira polemica após um lance com o marfinense Keita. Para o goleiro tricolor, o árbitro francês Stephane Lannoy, que validou um gol irregular de Luís Fabiano, errou.

"Não foi nada. Acho que o clima já estava meio quente. O Kaká é um menino bom, não machucaria ninguém de propósito. O jogador veio para o lado dele como quem não queria nada e o Kaká apenas ergueu o cotovelo para se proteger. Ainda bem que o Brasil já está classificado ele volta nas oitavas de final", analisou.

Ceni prefere não falar em um possível hexacampeonato, mas aposta que o Brasil disputará a decisão do Mundial pela oitava vez. "Não sei se vai ser campeão, mas a confiança é tão grande, que tenho certeza que vai chegar a uma nova final de Copa. Não tenho dúvida nenhuma disso. O Brasil está no caminho certo", declarou.

Questionado sobre os principais rivais do time de Dunga na África do Sul, ele nomeou as seleções tradicionais em detrimento de possíveis surpresas, como a Espanha. Atual campeã europeia, a Fúria decepcionou na primeira rodada e caiu diante da inexpressiva Suíça.

"Acredito muito na Argentina, acredito muito nos países tradicionais. Acredito sempre na Alemanha, na Argentina, no Brasil, nessas equipes. Pode ser que Espanha ou Inglaterra sejam campeãs, mas na hora da decisão, se pegarem Argentina ou Brasil pela frente, acho que ficam pelo caminho", encerrou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Siga-Nos!

Insta-Me!