6/26/2010

Fabuloso espera fim das retrancas a partir das oitavas

26/06/2010 - Bateu um otimismo no Fabuloso ao analisar como será sua vida dentro de campo a partir das oitavas de final da Copa do Mundo. Luís Fabiano mal teve espaço para respirar na primeira fase do Mundial. Especialmente contra Coreia do Norte e Portugal, sofreu com marcações cerradas. Só fez dois gols em três jogos, ambos contra a Costa do Marfim. Mas, a partir de agora, a aposta dele é em vida mais fácil.

É interessante o raciocínio do centroavante. Para ele, por serem etapas eliminatórias, os oponentes precisarão ter o mínimo de ambição. Isso significa atacar mais e, consequentemente, deixar espaços.

- São jogos de mata-mata. Se perder, tá fora. Eles não vão poder ficar só se defendendo. Vão ter que atacar também. Vamos ter mais espaço – comentou o camisa 9.

Os brasileiros parecem surpresos com a postura de Portugal. Por mais que também tenha atacado, e com relativo perigo, os lusitanos mexeram na escalação, ficaram mais defensivos, justamente para segurar a força verde-amarela. O técnico deles, Carlos Queiroz, já havia avisado que era uma decisão que poderia tomar. Cristiano Ronaldo, geralmente acompanhado por dois colegas na frente, ficou mais isolado nesta sexta-feira. E deu certo. O empate por 0 a 0 classificou Portugal.

- Portugal veio implantando um sistema de jogo para o que eles queriam. Eles queriam um jogo meio amarrado. Não queriam perder, essa é a verdade. Então vieram assim, praticamente com cinco homens no meio-campo. Foi um jogo muito travado, muito parado, com eles praticamente tentando jogar no erro do Brasil. Acho que isso dificultou muito mais o jogo – teorizou o meia Júlio Baptista.

O Brasil fechou a fase de classificação com sete pontos, na liderança do Grupo G. Na segunda-feira, duela com o Chile pelas oitavas de final. Se passar, pega Holanda ou Eslováquia nas quartas.

Saudações Fabianistas*

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Siga-Nos!

Insta-Me!